quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Resenha #7 - A Batalha Do Apocalipse

Olá, amigos leitores.
Mais uma vez, venho lhes trazer uma resenha. Porém essa resenha é muito especial para mim.
É um verdadeiro desfio escrever uma resenha sobre um livro que você considera perfeito, pelo medo de não conseguir expressar tamanha perfeição da obra.
A poucos minutos conclui minha leitura do livro A Batalha Do Apocalipse e não sei nem o que dizer exatamente sobre o livro, mas vou tentar compartilhar minha opinião sobre a obra com vocês.

Sinopse

A Batalha do Apocalipse

Há muitos e muitos anos, há tantos anos quanto o número de estrelas no céu, o Paraíso Celeste foi palco de um terrível levante. Um grupo de anjos guerreiros, amantes da justiça e da liberdade, desafiou a tirania dos poderosos arcanjos, levantando armas contra seus opressores. Expulsos, os renegados foram forçados ao exílio, e condenados a vagar pelo mundo dos homens até o dia do Juízo Final.

Mas eis que chega o momento do Apocalipse, o tempo do ajuste de contas, o dia do despertar do Altíssimo. Único sobrevivente do expurgo, o líder dos renegados é convidado por Lúcifer, o Arcanjo Negro, a se juntar às suas legiões na batalha do Armagedon, o embate final entre o Céu e o Inferno, a guerra que decidirá não só o destino do mundo, mas o futuro do universo.

Das ruínas da Babilônia ao esplendor do Império Romano; das vastas planícies da China aos gelados castelos da Inglaterra medieval. A Batalha do Apocalipse não é apenas uma viagem pela história humana, mas é também uma jornada de conhecimento, um épico empolgante, cheio de lutas heróicas, magia, romance e suspense.

Minha Opinião

O livro conta a história de Ablon, um anjo renegado, e Shamira, uma feiticeira (necromante).
Eles se conheceram nas terras Mesopotâmicas, em Babel no ano de 2334 a.C., quando o renegado salvou a vida da feiticeira e eles passaram a ter uma ligação muito forte (não pense em nada romântico, pois o romance só é esclarecido depois de milhares de anos.).
Embora eles tenham essa ligação, seguem rumos distintos um do outro com o passar dos anos.
 Shamira aprende a conservar sua juventude pelos milhares de anos.
 Ablon acredita na salvação da humanidade, e por isso, o arcanjo Miguel deseja matá-lo. Miguel odeia todos os seres humanos e deseja exterminar a sociedade.
Embora separados, o destino sempre dá um jeito de unir o casal. Quando eles se juntam é porque ocorrerá alguma batalha.
Eles estão tão ligados que quando seus adversário querem atingir Ablon, eles atacam a Shamira e quando querem atingir a Shamira, eles atacam o Ablon.
O que me surpreendeu foi o quanto eu consegui viajar lendo um único livro. Sério, eu viajei no tempo e espaço (a Tardis não é a unica forma de se viajar no tempo e espaço. Quem conhece Doctor Who sabe do que eu estou falando kk)
O livro narra histórias do passado, presente e futuro por vários lugares do mundo.
 Quando eu vi que o livro era de anjos, eu esperei aquele clichê de casal formado por anjo e humana, e uma guerra que estouraria por conta da paixão do casal, mas não, o livro tem seu romance sim, mas ele dá prioridades ao percurso da guerra, o que trouxe muita ação.
Como é um livro brasileiro, eu não esperava que fosse me apegar tanto a ele, pensei que leria algo parecido com o que encontrei nos livros estrangeiros. Me enganei muito. Esse foi o melhor livro que já li na minha vida. Eu amei personagens que jamais pensei que poderia amar, odiei personagens como nunca odiei nem um ser humano, me emocionei, me surpreendi, me encantei com o perfeito universo descrito na obra.
Eduardo Spohr usou e abusou da imaginação ao escrever o livro.
Ele criou mundos inimagináveis, e personagens fabulosos.
A descrição das lutas é algo impecável, e as descrições dos ambientes me fizeram viajar.
Me emocionei com a Morte de muitos personagens, e nada me preparou para o final do livro, pois ele não foi nada previsível. 
O livro não tem continuação e é uma pena saber que não importa quantas vezes eu releia o livro (podem ter certeza de que farei isso muitas vezes), a história não irá se alterar. Não poderei conhecer novas aventuras do Ablon e da Shamira.
Em uma escala de 0 a 10 o livro vale 11.
Espero que mais obras impactantes como esta, possam surgir em nosso país.
A literatura brasileira vem me surpreendendo cada vez mais, e espero que continue assim.
Bjokas