sábado, 19 de abril de 2014

Resenha #9 - Adeus À Inocência (Drusilla Campbell)

Olá peoples, como estão?
Todo mundo curtindo o feriadão?
Lendo muito, curtindo a família, descansando bastante?
Ok então.
Hoje trago para vocês mais uma resenha, de um livro que ganhei.
Adeus À Inocência

Sinopse

Madora tinha 17 anos quando Willis a “;resgatou”;. Distante da família e dos amigos, eles fugiram juntos e, por cinco anos, viveram sozinhos, em quase total isolamento, no meio do deserto da Califórnia. Até que ele sequestrou e aprisionou uma adolescente, não muito diferente do que Madora mesmo era, há alguns anos... Então, quando todas as crenças e esperanças de Madora pareciam sem sentido — e o pavor de estar vivendo ao lado de um maníaco começava a fazê-la acordar —, Django, um garoto solitário, que não tinha mais nada a perder depois da morte trágica de seus pais, entrou em sua vida para trazê-la de volta à realidade. Quem sabe, juntos, Django, Madora e seu cachorro Foo consigam vislumbrar alguma cor por trás do vasto deserto que ajudou a apagar suas vidas?

Adeus à Inocência 


Minha Opinião

Depois da morte do pai, Madora se tornou uma completa rebelde. Ela e sua amiga Kay-Kay fazem coisas que desagradariam a qualquer pai. Madora mora com a mãe mas elas são bem distantes uma da outra, até que ela conhece Willis, um cara atraente de cabelo longo e todo misterioso, pelo qual ela se apaixona. Todos sentem que há algo de errado com o rapaz, mas Madora insiste em afirmar que ele é uma boa pessoa.
Quando a mãe dela vai embora, Madora passa a viver com Willis em um lugar desértico e abandonado,  e enquanto ele vai em busca de sua faculdade de medicina, Willis vai afastando Madora do resto do mundo.
A rotina da garota é cuidar da "casa", vigiar e atender as necessidades de Linda (jovem que mora no trailer atrás da casa deles, que acabou de ter um filho, e que foi "salva" por Willis) e atender aos caprichos do amado de cabelo gigante.
Por outro lado, temos a história de Django, um garoto de 12 anos que acabou de perder a mãe e o pai astro do rock, e foi obrigado a morar com sua tia solteirona e com uma vida pacata, Robin.
Quando Django e Madora se conhecem, o menininho passa a ser a unica fonte de diversão que a jovem encontra em seu estado isolado, porém se Willis descobrir essa amizade os dois poderão correr sério perigo.
Django faz com que Madora enxergue o mundo da forma como ele realmente é, e a desperta para os perigos que a cercam.

A leitura do livro flui muito rapidamente, o que me surpreendeu muito.
A autora possui uma escrita que pode ser compreendida com muita facilidade, e ambientes bem descritos.
Uma coisa que me irritou muito foi a ingenuidade da Madora. A garota tem 22 anos, mas é muito mais cega do que uma criança de dez anos. Todos enxergam o vilão da história, menos ela, o que chega a ser algo bem irônico considerando que ela é a vitima. A garota deixa que as pessoas a inferiorizem com muita facilidade até um cero ponto do livro e eu não gostei nada disso. Quando eu comecei a gostar dela o livro já estava acabando.
Quanto a Django, achei que ele é um excelente personagem. Mesmo sofrendo ele consegue enxergar grandes problemas e tentar soluciona-los. Um garoto esperto, divertido e um grande amigo.
Achei que a autora andou muito rápido com a história. Acho que ela poderia ter se aprofundado mais no futuro dos personagens, pois o livro só ficou interessante no final. 
Não achei o livro surpreendente, mas até que possui uma história bacana apesar de seu defeitos.
.O livro foi publicado pela Novo Conceito. Possui uma diagramação simples, folhas amareladas e, como sempre, letras bem grandes que ajudam muito na leitura.



O livro merece uma nota 8
Mesmo não me apaixonando 100% pela Madora, eu fique torcendo para que ela se desse bem no final.

Espero que tenham gostado da resenha. Não se esqueçam de comentar.
Bjokas